Ultimas Notícias

15 junho 2021

148ª DP DE ITALVA E PREFEITURA INAUGURAM A SALA HUMANIZADA PARA ATENDIMENTO À VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Visando dar suporte nas ações de combate aos crimes de violência doméstica abrangendo crianças, mulheres e idosos, foi inaugurada nesta segunda-feira, 14, a Sala Humanizada Assistente Social Marly Fernandes, em Italva. O espaço está localizado na sede da 148ª Delegacia Legal e foi criado por meio da parceria da prefeitura e a delegacia. 

Na ocasião, a secretária municipal de Assistência Social, Ângela Maria, responsável pelas articulações e concretização dos ajustes que possibilitaram a consolidação da ideia, falou sobre o objetivo do espaço. "Criar uma sala reservada que ofereça condições para a mulher moradora de Italva, vítima de agressão doméstica, se sentir mais à vontade para denunciar e relatar o que sofre foi o ponto principal para essa parceria. Pretendemos dar o conforto, privacidade e mais condições para encorajar essa mulher a não sofrer calada", disse. Ângela informou também que o delegado, ao receber a proposta para o atendimento feito apenas para mulheres, sugeriu incluir as demais vítimas de violência doméstica como crianças, adolescentes e idosos. O que foi feito. 

Em relação a escolha do nome da Sala, a secretária contou que a história da Assistência Social no município começou com a homenageada, Marly, sendo ela a responsável por grandes feitos e com participação significativa em prol da população. "Com muito empenho profissional e comprometimento, Marly foi a primeira concursada no município nesta importante área social. Ela foi um grande exemplo de luta pelos menos favorecidos e pela dignidade humana. Marly faleceu recentemente e apesar de aposentada, ainda contribuía bastante com a profissão e com nossa população. Era uma mulher muito batalhadora e determinada que sempre dedicou sua vida pelo próximo", salientou. 

O delegado Rivelino Bueno destacou que esse tipo de ocorrência que envolve violência doméstica já é uma preocupação do Estado desde 2006, com a edição da Lei 11.340, chamada de Lei Maria da Penha, sendo esse o pontapé inicial que solidificou as políticas públicas de atendimento ao público vulnerável. "Desde esse marco da Lei, várias iniciativas são tomadas. Na delegacia, já tínhamos a preocupação de acelerar a apuração desses procedimentos porque entendemos que toca numa área muito sensível da sociedade.  Em Quissamã já tinha sido inaugurado esse projeto e eu já estava com a ideia de procurar o município para uma parceria em Italva também. Porém fui surpreendido com a visita da Secretária com esse mesmo objetivo", falou. No que diz respeito ao trabalho da Polícia Civil, Dr. Rivelino, enfatizou que será possível dinamizar mais as investigações que envolvam crianças, mulheres e idosos como vítimas nesses casos. 

O município também obteve uma outra conquista, pois o Boletim de Atendimento Médico (BAM) das vítimas de violência doméstica passará a ser feito no Pronto Socorro da cidade (PS) - após alguns ajustes - o que evita o transtorno de locomoção para Santo Antônio de Pádua, onde ocorria esse procedimento. "A vítima irá até a delegacia registrar a ocorrência e a Polícia Civil vai encaminhar para o PS para fazer o BAM. Inclusive estamos nos preparando para ampliar os tópicos do nosso BAM com algumas peculiaridades necessárias para dar precisão ao trabalho da Polícia e demais autoridades competentes", esclareceu o Prefeito Léo Pelanca. Fonte: O Dia