Ultimas Notícias

09 setembro 2020

SERVIDORES DO INSS DE GREVE POR TEMPO INDETERMINADO

Os servidores do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) iniciaram, nesta terça-feira (08/09) uma greve por tempo indeterminado. A ação foi tomada em virtude da intenção do governo de reabrir as agências, a partir da próxima segunda-feira (14/09), apesar de o Brasil continuar sendo epicentro da Covid-19A decisão, que vale em todo o país, foi determinada na última sexta-feira (04/09) pela Fenasps (Federação Nacional dos Servidores da Previdência Social), durante reunião virtual. 


Em declaração, a Fenasps esclareceu que a greve foi decidida “diante da intransigência da direção do INSS para reabrir as agências em plena pandemia de Covid-19, que já deixou mais de quatro milhões e cem mil infectados e quase 126 mil mortos”. Ademais, o sindicato afirma que “os servidores não deverão retornar aos locais de trabalho, permanecendo em home office, sendo imprescindível informar os sindicatos”. Portanto, a previsão de retorno do atendimento presencial que havia sido definido para o dia 14 de setembro deve sofrer alterações. 

Ainda em comunicado, a Federação instruiu os servidores da instituição a denunciarem aos sindicatos estaduais casos de assédio moral relacionados ao retorno das atividades presenciais. Nessas situações, serão apresentados requerimentos aos ministérios públicos do Trabalho e Federal. 


Este não é o primeiro conflito entre a autarquia e seus servidores, no mês de julho a Secretária Nacional de Perícia Médica, Karina Braido, pediu demissão junto aos 120 coordenadores e chefes regionais da perícia de todo o país. A ação tomada pelos profissionais, gerou de certo modo um colapso no sistema de perícia médica, vinculado ao Ministério da Economia que presta serviço ao INSS. Esta foi a primeira vez na história da instituição que algo do tipo ocorreu. 

A decisão foi tomada após o presidente do INSS, Leonardo Rolim, estipular que as atividades presenciais deveriam ser retomadas em agosto. O parecer não foi visto com bons olhos pelos servidores, que afirmaram que o órgão não adotou as medidas de segurança necessárias para reabrir as agências, fato que inviabiliza o trabalho.