Ultimas Notícias

04 fevereiro 2018

EDITORIAL: QUEM QUISER QUE VEJA

QUEM QUISER QUE VEJA!
(Por Erivelton Mendes)

Engraçado. Durante a ditadura militar, a maior parte da população foi às ruas pedir diretas já. Queria a todo o custo a democracia, o direito de se expressar, a liberdade de expor suas ideias, votar e escolher o rumo de sua vida. Depois de muitos sacrifícios, desfrutamos hoje dessa democracia tão almejada. Mas parece que o autoritarismo militar ainda ficou impregnado na cultura de grande parte do povo, que de certa forma tenta impor modelos disso e daquilo.

Não aguento mais ler e ouvir críticas ao Big Brother Brasil, "reality show' da Rede Globo que está na sua 18ª edição, e isso não é de hoje. Não gosta, não concorda, não acredita, então não vê, simples assim. Ou será que em pleno 2018 essas pessoas não possuem outras opções de canal na televisão? Não acredito. Falam de uma forma como se estivessem obrigadas a assistir e querem obrigar quem gosta a não assistir. Isso é democracia? 

Existem até correntes pedindo para acabar com o programa. Pra quê? Desliga a TV. Se ninguém lhe informou, eu informo: Você não é obrigado a assistir. E tem mais. Acabam divulgando ainda mais aquilo que querem destruir. Se não fosse pela enxurrada de postagens nas redes sociais de um tal pai em supostas ações libidinosas com a filha no programa deste ano, eu nunca saberia. Sabe por quê? Eu não assisto. Mas acabei sabendo e até assistindo, pois o vídeo chegou ao meu celular provavelmente enviado por alguém que faz campanha contra o programa.

Acompanhei somente duas edições, lá pelos idos de 2001, até porque era novidade e eu queria conhecer. Não assisto e não acredito que tudo seja tão natural, mas também não fico metralhando o trabalho dos outros. A Rede Globo é um canal aberto e se você não gosta vá para o SBT, Rede TV, Record, Band, Canção Nova, Novo Tempo... sei lá, ou então desliga a TV e vai ler um livro.

Aliás, qual foi a última vez que você leu um livro? Não queira impor sua vontade nos lares dos outros. Defenda sua opinião com leveza e respeito. Cada um na sua, isso é democracia.